domingo, 14 de maio de 2017

Zero Waste: Como usar a meloa da casca às sementes

Eis um exemplo de desperdício zero que consegui fazer com duas meloas que comprei já bem docinhas apesar de ainda não estar bem na altura delas! Mas já vos conto tudo...

Ultimamente tenho andado a fazer um esforço por reduzir de forma drástica os resíduos cá de casa. E reduzir, significa reduzir também a quantidade de resíduos que, vão para a reciclagem, já que os resíduo do lixo comum estão muito próximos do zero.

Os frascos de vidro lá em casa servem para quase tudo. Servem para armazenaar, para congelar, para servir e para levar a marmita. Já há quem tenha reparado que na minha lancheira vão invariavelmente frascos para os iogurtes sólidos e líquidos, para os sumos naturais, para as granolas caseiras, para os frutos secos, para os almoços e até já tenho uma amiga que é a minha principal fornecedora de frascos de vidro de todos os tamanhos e formas ;)

Mas aquilo que realmente me deixa feliz é conseguir dar bom fim aos produtos que acabo por ter de consumir! Desta vez, falo-vos da meloa e da forma de a usar de forma integral, desde a casca às pevides.

Em 2010 partilhei convosco algo idêntico, mas com a laranja. Podem seguir o link.

Se me deixa feliz a possibilidade de não trazer impacto ambiental com as minhas opções, mais feliz me deixa saber que melhoro inclusivamente a alimentação da minha família!

A polpa da meloa foi comida ao natural, como sobremesa do jantar de ontem, mas as sementes e a polpa que estava a elas agarradas, viraram uma bebida vegetal docinha e aromática para juntarem aos batidos, ao café ou aos molhos das vossas refeições. Eu quis logo experimentar no meu "leite" com café turbinado que ficou ainda mais aromático que o habitual.
O meu turninado com "leite" de sementes de meloa, um expresso longo, canela, gengibre, curcuma, pimenta preta, e um pedacinho de óleo de côco.

O meu marido preferiu beber mesmo ao natural sem mais nada, mas eu apostaria na sua mistura com um batido de frutas ou aromatizada com um pau de canela e gengibre.


Pode parecer estranho, beber as meloa desta forma mas as sementes da meloa são muito ricas em vitamina B12, A, B6, D, E e K. Além disso, as quantidades de proteínas, lípidos, fibras e carotenoides, presentes nas sementes, são superiores as encontradas na polpa da fruta. Fantástico, não é? Se pesquisarem pelos seus benefícios, encontrarão ainda mais benefícios, embora o sabor do sumo realmente fale por si.
Para os interessados, a receita é basicamente a mesma daqui. Apenas alterei a proporção da água de 1 de sementes para 3 de água, com a benesse de não ter de demolhar nada de véspera. Se não quiserem fazer o "leite" de imediato, podem guardar as sementes no frigorífico de um dia para o outro.

A casca para mim foi uma bênção, porque as nossas alfaces estavam a ser "degustadas" por umas pequenas lesmas e as cascas foram a minha salvação! Como não uso nenhum tipo de fertilizante e muito menos de pesticida, as cascas serviram de engodo para os caracóis e lesmas.

Se repararem na foto, vê-se pequenos sulcos na casca,  que significa que para já as minha alfaces estão a salvo. Depois, quando já não tiver mais uso para elas, coloco no compostor, que me tem dado um belíssimo composto/adubo vegetal excelente para as culturas biológicas.



Para quem não tem compostor, não fica sem uma alternativa. Se ferverem as cascas durante alguns minutos com água apenas a cobrir as cascas partidas em pequenos pedaços, colocam tudo no liquidificador e usam o resultado para colocarem na vossa receita preferida de pão ou, quem sabe, até de bolo.

Esta é uma receita com a qual me cruzei hoje e que é para testar em breve. 


1 comentário:

heloisa de mesquita inoue disse...

Hummm, fiquei muito feliz com o seu post... também ando querendo reduzir ... Beijos!

Vê também...

Related Posts with Thumbnails