domingo, 26 de abril de 2015

15/52

A peek once a week: No jogo de rugby.

quinta-feira, 16 de abril de 2015

My sweet Porto

Não é por ser a minha cidade, a cidade onde nasci, mas o Porto está cada vez mais bonito!

Na Páscoa, encontramos um Porto primaveril com a temperatura ideal para patrulhar as ruas e avenidas ao ritmo desenhado pelas nossas vontades, aproveitando todos os motivos para parar e apreciar as pequenas coisas, aquelas que nos passam ao lado quando temos objetivos e planos a cumprir.

Assim, sem planos, demos por nós a aproveitar o nosso Porto até à noitinha :) Boa, filha, isso de já não termos de fazer sestas, traz cá uma nova qualidade de vida!











quarta-feira, 15 de abril de 2015

De coração apertadinho

Hoje começa a aventura da escolarização da bailarina.
Bem que fugimos com o rabo à seringa o mais que pudemos, mas hoje não deu mais...

E assim começa um percurso de longos anos. [demasiados na minha opinião]
Sei que lá vai ser feliz e que vai brincar até cair de exaustão, por isso acho que só eu estou assim introspetiva e espectante, mas qual mãe não está no primeiro dia de aulas dos filhos?!


terça-feira, 14 de abril de 2015

14/52


quarta-feira, 8 de abril de 2015

13/52

A pick once a week

sexta-feira, 3 de abril de 2015

Sardas

Desde que me lembro sempre tive sardas. 
Sempre tive um tom de pele bem claro e apesar de não serem aquelas sardas bem evidentes, sempre lá estiveram.

Há uns meses para cá tenho reparado que elas têm-se multiplicado na minha cara e começo a achar que já não são apenas sardas e que começam a parecer manchas de pigmentação. 

Para me sentir bem com elas sinto cada vez mais vontade de as esconder com uma base clarinha. 

Apesar de usar protetor solar, já não as consigo controlar. 
Há algum creme bom que me recomendem?  De preferência que não pague couro e cabelo, sim?!


quinta-feira, 2 de abril de 2015

Artisan Bread

Descobri o artisan bread há vários anos, mesmo antes de ter a bimby e fiz várias vezes nessa altura. Depois veio a bimby e a receita ficou guardada na gaveta sem me lembrar dela até uma amiga me mostrar e dar a provar as iguarias que faz (entre versões simples, salgadas e doces). 

Entusiasmada voltei a experimentar a receita base. Fui alterando a receita original até encontrar a nossa versão preferida - artisan bread com cereais. 

Descobri ainda que a massa fica bem melhor, em termos de sabor e de consistência, se ficar no frigorífico de um dia para o outro.
[ Depois de sair do frigorífico, deve ficar à temperatura ambiente pelo menos 40 minutos]


 
A receita base é 500g de farinha, 360g de água, 9 g de sal e uma saqueta de fermento de padeiro tipo fermipan. Mexer tudo com uma colher de pau e deixar levedar durante duas horas tapado.

O que vi que resulta melhor é que a água utilizada seja morna (atenção que não pode ser quente demais). Se preferirem podem fazer o dobro da quantidade e guardar no frigorífico por alguns dias. Pode usar-se apenas o suficiente para a quantidade necessária de pão a ser consumido e assim há sempre pão fresquinho em casa.

O que comecei a fazer foi substituir cerca de 50g de farinha por cereais a gosto (coloco normalmente aveia, linhaça e chia, que são as que tenho sempre em casa por causa da bailarina que sofre muito de obstipação).


quarta-feira, 1 de abril de 2015

Quinta do Lago

Hoje foi dia de limpar o cartão de memória da máquina fotográfica e de descobrir fotos que tencionava partilhar e que foram ficando esquecidas... 

Não resisti a colocar cá algumas da Quinta do Lago onde fizemos um trilho no meio do sapal. O lago que no Inverno estava cheio, agora foi escoado para o mar, dando lugar a um habitat perfeito para muitas espécies de aves e não só.

 Pelo trajeto, cobiçamos vários casarões implementados em plena reserva natural.

 Mas o melhor foi mesmo ver estes animais tão perto a comer/caçar ou simplesmente a apanhar sol.


Quanto mais perto estavamos do mar, mais se sentia o vento. Na travessia da ponte sobre o sapal é que sentimos que o caminho valera a pena e ainda nos atrevemos a ir até à praia.

O trajeto de regresso foi mais cansativo porque a bailarina exigiu colinho e a fome começou a apertar.
 Na volta sentamo-nos no areal improvisado do lago e lanchamos ali mesmo, aproveitando as belas vistas.


 No fim, a bailarina entornou a água, mas o sol foi nosso amigo e deu uma ajuda a secar a blusa :)

Vê também...

Related Posts with Thumbnails