sábado, 31 de maio de 2014

Projeto completo!

Esta semana consegui completar um projeto que há muito tinha em mente.

Aliás tenho tantos pequenos projetos DIY em mente e tantos outros a meio da execução que não sei quando conseguirei terminar mais algum...

O tempo livre é infinitamente pequeno, mas a vontade é tão grande que dou por mim enfiada na garagem já depois da meia-noite, depois de deitar a garota, a dar mais uma demão de tinta, na esperança de no dia seguinte conseguir avançar mais um bocadinho que seja :P

Mas voltemos ao que estava a falar!

Finalmente reformei o antigo candeeiro que mantinha na minha mesinha de cabeceira!!! Foram meses e meses de desagrado sempre que olhava para aquele desengonçado candeeiro que tantas horas partilhou o local de repouso comigo...
Não sabia exatamente o que dele queria fazer, daí ter levado algumas semanas a imaginar, a inspirar-me aqui e ali, tirando ideias de como poderia transformar o candeeiro de estilo moderno que já nada tem que ver com o resto da decoração do quarto em algo que valesse a pena contemplar! :)

Infelizmente não fotografei o candeeiro antes da mudança, mas entre o plástico partido que cobria a estrutura que que vê na foto, uma data de tubos e parafusos que o sustentavam e a ausência de lugar para colocar um abajour tradicional, o que sobrou foi apenas um pé de metal em bom estado, mas nada mais onde sequer equilibrar uma espécie de abajour!

Um abajour antigo pode ser forrado de novo com tecidos, com papel, pode ser pintado, cozido, coberto com lã, jornal, enfim, uma infinidade de coisas, mas o meu problema é que não tinha abajour, nem sequer podia anexar lá um novo! [De qualquer forma, gastar dinheiro a comprar um abajour ou um candeeiro novo estava fora de questão...]

A solução?! Pensamento básico: "Vou fazer um em cartão!"

Depois de tiradas algumas medidas construí um cilindro oco e umas abas para as fixar aos 3 arames que existiam em redor da lâmpada. Fácil e rápido!

   
 A cartolina foi então revestida com um print de um mapa antigo que tinha guardado para mais tarde emoldurar e que acabou por encontrar o seu lugar noutro local improvável! [Depois digo-vos o que resolvi fazer com a tal moldura! É o tal projeto que falavo no início...]



Que acharam da transformação? Fariam algo semelhante? Identificam-se com o estilo vintage que tentei imprimir no objeto? 



terça-feira, 20 de maio de 2014

Os primeiríssimos...

Hummmmmm...

quinta-feira, 8 de maio de 2014

As mães são esquisitas

O momento alto do meu dia foi saber que a pequena depois de 5 dias sem fazer, fez um cocó...
E pronto, ficar feliz por tal motivo, só mesmo quando se é mãe!


segunda-feira, 5 de maio de 2014

Sol diz bem com praia







Escrever em papel...

Cada vez mais se vai perdendo, não a vontade, mas sim a necessidade de escrever em papel! Em papel com lápis ou caneta.

É claro que, tal como a maioria da população, não resisti à mudança para o uso das novas tecnologias, aliás até de uma certa forma somos impelidos a fazê-lo sob a pena de estarmos alheados da realidade...

Às vezes ainda me questiono como é que alguém ainda continua a ler o jornal de papel? Ou, quem é que ainda não tem net em casa ou telemóvel na carteira?

Apesar de tudo e apesar de todas as excelentes aplicações que nos permitem ter um bloco de apontamentos digital, uma agenda eletrónica, uma lista de afazeres ou uma lista de supermercado que se atualiza com um simples toque de dedo, a verdade é que continuo a gostar de escrevinhar em papel ideias e esboços. Aos rabiscos, gosto ainda de complementar com isto e aquilo que vou colando ou agrafando, como bilhetes de eventos, tikets, desenhos, etc.

Ando com um mini-caderninho daqueles com caneta incluída e elástico que vai sempre na mala comigo para todo o lado. O incoveniente é mesmo não conseguir manter aquilo organizado e tenho sempre tendência para arranjar mais um bloco para isto e outro para aquilo, já que lá vai tudo parar desde, compromissos marcados, emails e contactos de pessoas que necessito, uma excelente receita que vi na tv e que gostava de experimentar, aquela coisa tão engraçada que a minha bailarina disse ou que fez e que não quero que fique esquecida, uma ideia para reformular qualquer coisa lá em casa, enfim,... é mesmo um poço sem fundo de informações que acabam por ficar perdidas por não estarem catalogadas.

Solução? Creio que não há mesmo, a não ser ter muitos cadernos... ehehehe

Pois que decidi que teria de ter um especial e com imaginação e um pouco de paciência, venho a ganhar um caderninho giro e que me enche de vontade de escrever muitas, muitas coisas!

Eis como um caderninho de folhas brancas ganha vida!  Basta forrá-lo com um papel de embrulho bonito, seguido de uma plasticação. A etiqueta dá o retoque final para que fique personalizado.


sexta-feira, 2 de maio de 2014

De mãos na terra...

Gosto destes primeiros dias de calorzinho, [mesmo que para já seja apenas uma pequeníssima amostra de calor]; gosto da despedida dos casacos mais quentes e pesados; gosto do cheio a flor de laranjeira que invade o meu quintal... 

São dias como estes que despertam a vontade de ir lá para fora, deitar na espreguiçadeira e aproveitar o sol com um bom livro para ler :)

Pois bem, estou mesmo a sonhar!!!! Com a bailarina a correr pelo jardim, a saltar, a trepar ao escorrega, e a brincar com os cães, toda a atenção tem de ser centrada apenas nela e nas mil coisas que recentemente descobriu que tem para nos dizer e que me delicio a ouvir... 

O livro lá terá de ser lido mais tarde e como tenho uma ajudante à altura, abraçamos juntas o projeto do cultivo em pequenos vasos...

Nunca tinha cultivado morangos. Como é que nunca me tinha lembrado disso? 
E parece que estão a gostar do cantinho que lhes reservei :)



Hoje, quando os fui regar, apercebi-me que lá habitava uma mão cheia de moranguinhos já com um tamanho muito aceitável! Deram um pulo nestes últimos dias :)




Como a experiência está literalmente a dar frutos, já encomendei mais morangos que em breve vem fazer companhia a estes...

Vê também...

Related Posts with Thumbnails