terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Natal 2014

A árvore nunca foi feita tão tarde quanto este ano, mas Natal sem árvore em casa não seria a mesma coisa :D

Por isso, diretamente de nossa casa para a vossa, vos deixo um abraço apertadinho carregado de votos de um Natal muito docinho e cheio de amor dos que vos são mais queridos!




Joe Cocker

O que eu gosto deste senhor!
Que descanse em paz...


terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Em contagem decrescente

Este é sem dúvida o encanto de se estar longe de casa
e dos nossos amigos
e da família 
e da nossa terra natal 
e das nossa casa 
e das nossas coisas...

Adoro a expectativa de regressar, o esperar ansiosamente que chegue à meia-noite para oficializar menos um dia do calendário, o friozinho na barriga só de pensar que em breve estaremos junto de tudo o que mais prezamos na vida!

[ Não quero com isto dizer que estou mal cá, aliás estou sempre a murmurar o quanto gosto de cá estar e da falta que me vão fazer estes dias tranquilos e esta paz proveniente deste estilo de vida que por cá temos...].

Mas..., mas é quase Natal e eu não fiz ainda a árvore, nem o presépio, nem qualquer tipo de decoração, não embrulhei nenhum presente, nem pintei nenhuma estrela com a bailarina. E estou cheia de vontade de entrar em modo N-A-T-A-L!!! :D


Nunca pensei vir a gostar do leva e trás de malas e tralha de casa para casa, mas é estranhamente satisfatório este rodopio!

O pior?! O pior é que mal chegamos a casa, começa a contagem descrescente para o regresso. Pois, é mesmo assim que acontece... 

Agora resta-me apenas uma semaninha de trabalho até estarmos de regresso à casa-melhor (como diz a pequena), porque esta é apenas a casa-nova!

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

"Alte" e para o baile!

         Setembro e Outubro foram dias de praia! Muita, mesmo... Aproveitamos até ao finalzinho. 
Como tudo, fora de época, sabe ainda melhor; e praia sem confusões, sem preocupações das horas de sol mais perigosas e com água sempre quentinha é realmente de aproveitar, principalmente com crianças.

        Com o Outono e com os diazinhos mais frios iniciamos o que espero que venham a ser uma série de passeios para conhecer alguns lugares do Algarve. 

         Começamos com Alte, uma terriola gira que só ela e que espero poder visitar mais vezes, não só pelas lindas paisagens, mas também pelas gentes e pelos sabores tradicionais que tivemos o prazer de experimentar.

       A Fonte Pequena e a Fonte Grande separadas por apenas algumas centenas de metros foram os primeiros pontos de interesse que não quisemos deixar de visitar.

                                                 
        Na Fonte Pequena vimos patos bravos e gansos que aproveitavam os quentes raios de sol. O som relaxante da água corrente era apenas cortado pelas indicações dos pais de uma menina que aprendia a andar de bicicleta.


      
       Conforme nos aproximavamos da Fonte Grande, o som da natureza deu lugar a música alta e animada que fazia lembrar o Goran Bregovic. Havia um excelente espaço para churrascada e pic-nic. Tanta gente que lá havia!!! A questão era mesmo: de onde teriam aparecido?! Durante km e km não viramos viv´alma...

Um dizer maravilhoso de Camões que quis partilhar convosco.
         A Fonte Grande estava praticamente sem água, mas deu para perceber que no Verão serve como piscina. Havia ainda um anfiteatro moderno que antevia a realização de encenações teatrais. Será?

         
        Depois de muito dançar, e de atirar folhas e folhas ao ar, a bailarina tinha fome e a temperatura começara também a baixar, pelo que fomos procurar algum conforto no centro de Alte. 

        Uma voltinha rápida pelas ruelas de Alte [a revisitar com mais pormenor a pé numa próxima visita] encontramos o cantinho perfeito para aquecer as mãos e tomar um lachinho reconfortante: a Pastelaria Água Mel, um lugar cheio de charme onde serviam pastelaria caseira confecionada com produtos algarvios.



Bolo de ovos moles com chila coberto com pasta de amêndoa.

        Indecisa entre a tarte de figo e o bolo de alfarroba, embeicei-me pelo simples bolo de iogurte (dos melhores que já comi) que me encheu as medidas a acompanhar o café com leite.


      O ambiente repleto de pormenores e de atendimento simples e familiar, serviu para meter conversa com alguns locais a quem pedimos indicações para chegar ao ex libris de Alte.


       
       O primeiro motivo que me levou a Alte foi a Queda do Vigário. Tal como a Fonte Grande, estava com muito menos água do que vi em fotos, mas ninguém lhe tira a imponência e a beleza de tal queda de água!

        Como tudo o que é bom na vida, começa-se logo a aproveitar ao longo do percurso....
       A caminhada até lá abaixo começa com uma descida acentuada com uma vista ampla de campos geometricamente lavrados. Continua com um caminho ladrilhado que "desagua" num amplo jardim relvado com um edifício um pouco degradado que no Verão deve ser explorado comercialmente.




 As mini-grutas guiam-nos até à última e derradeira descida até à queda do Vigário.



     
         No Verão espero dar lá uns mergulhos e no Inverno espero encontrar uma queda maior e mais imponente.

          Há muitos motívos para lá voltar, não é?

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Crise de saudades...

Hoje o pai cá de casa assistiu a uma crise de saudades da miúda. (Contou-me ele, de olho brilhante mal cheguei a casa).

Parece que ela estava a ver umas fotos e uns vídeos da família e começou a chorar assim do nada. Chamou pela mãe e pedinchou colo do pai enquanto as lágrimas teimavam em cair...

Eu que até nem sou lamechas pus-me a pensar que isso da separação física do nosso mundo de afetos [adoro esta expressão] está a afetar a bailarina mais do que julgara.

Sempre soube que tinha uma menina sensível, mas agora compreendo melhor os abraços apertados e as sessões de beijos diários que recebo cada vez que chego à casa "nova".

Sim, a miúda recusa-se chamar-lhe casa! Casa é a nossa, esta é apenas a casa nova.

domingo, 2 de novembro de 2014

Sweet November...

Para mais tarde recordar: praia em Novembro!!!
Saying goodbye to the beach :)


terça-feira, 21 de outubro de 2014

Keep it simple

Pequenos momentos de uma semana muito pacata, tal como apetece...

Miminho para o marido que adora!

Uma bela tarde para secar a roupa...

O que parece um momento relaxante não é bem assim! Uma hora sozinha com ela na praia vale por um dia inteiro. Ufa!

Verão, em Outubro?! :)

Um bicharoco com ar ameaçador veio fazer-nos companhia no pequeno-almoço.

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Foi há mais de um mês

      Foi há mais de um mês que fotografei o céu visto do meu jardim num daqueles pôr-de-sol especiais que deixam o céu salpicado de rosa e salmão...

      É com esta imagem que recordo uma saída de casa repentina e sem estar preparada apesar de no meu íntimo já estar à espera. É difícil de explicar...

     Hoje, pela primeira vez pensei na minha casa, nos cães a correr no meu jardim , da falta que as pessoas de lá me fazem. Senti falta do sabor dos pratos da minha mãe, das gargalhadas do meu sobrinho, das conversas com o meu avô, das parvoíces dos meus irmãos...

    Lembrei-me que deixei em interregno um projeto que há tantos anos havia projetado e apenas agora tivemos coragem de abraçar. Lembrei-me das horas e horas de pinturas, alternadas com lixagens que fizemos a dois e que nos ocuparam todo o Verão.

     Pensei quefizemos bem preterir as férias em nome das reformulações necessárias na nossa casa..., casa essa que agora está longe da vista e por isso longe do coração. Hoje deu-me vontade de lá voltar e lembrei-me da ´foto que fui a correr para trás tirar à pressa do único cantinho aparentemente terminado.

Valeu a pena. As férias sinto-me a fazê-las agora, mesmo que (felizmente a trabalhar). Mas a parte boa das férias é regressar a casa, não é???? Pois, essa parte acho que não dá mesmo. Assim mesmo são férias da minha casa...



segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Últimos dias em fotos...


Um canário amistoso.

Champions tour Vilamoura 2014

Um momento do fim-de-semana.
Para mais tarde recordar.

Um pequeno-almoço só para mim.

Smiley chimney :) Love it!!!

Miminhos ao acordar...

As primeiras fotos dela.

Mais um mergulho!

domingo, 5 de outubro de 2014

...

Sinto-me a ser arrastada pela poderosa e imprevisível maré...

Pode até parecer perigoso e pouco desejável, mas quando se lhe apanha o gosto de liberdade e se abre os braços ao balançar frágil e imparável do mar, começo a pensar o porquê de achar que até então fui eu que estive em controlo quando na verdade nunca estive.

É tão fácil e prazeroso ser levada nas ondas e não tentar sequer remar contra a maré. Haverá sensação melhor que esta?

As tentativas vãs de controlo são como pedras nos bolsos. Podem parecer infensivas, mas pesam. 

Liberto-me delas e de tudo o que achei que me faria falta e vivo com menos. Com menos pertences, com menos objetivos, com menos pensamentos. Com mais sentimento, com mais alma.

E tudo faz sentido...

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Por aqui...

Por aqui ainda andamos a banhos. 
Os finais de tarde têm sido passados na praia.
Tem sabido (demasiadamente) bem viver-se de-va-ga-ri-nho.
Aproveitam-se os últimos raios de sol sem pressas e sem confusão.
Vive-se bem no Algarve em Setembro :)
 


quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Senti-me desafiada, e tu?

 Obrigada, Carlinha, pelo desafio que me lançaste e que tando gosto me deu em fazer!

1 – O que você não sai de casa sem? 

Não saio de casa sem a chave de casa, isso se não me esquecer dela na porta (sim, por vezes acontece...). O que eu gosto mesmo é de sair de casa com as mãozinhas a abanar, sem nadinha de nada :)

2 – Qual seu animal favorito? 

Os meus cães. Que saudadinhas tenho eu deles, mesmo incluindo aqueles buracos no jardim e as marcas de pés nas roupas :P
 
3 – Qual seu sapato favorito? 

Sandálias, sempre! Adoro o Verão!
 
4 – Produto de maquilhagem indispensável? 

Apesar de quase nunca me maquilhar, confesso que um blushzinho e um rimel fazem sentir-me bem mais confiante e bonita.

5 – Qual seu maior sonho? 

Sinceramente, acho que não tenho nenhum sonho "maior". Quero sim, sentir que hoje fiz tudo o que estava ao meu alcance para estar de bem comigo.

6 – Qual o seu maior defeito? 

Sou muito esquecida e isso por vezes faz-me desperar comigo mesma. Detesto ser assim...
 
7 – O que te irrita nas pessoas? 

 Estou numa fase da minha vida em que as pessoas quase que deixaram de me irritar. Só nos irritam se nos deixarmos efetivamente irritar, pelo que opto por me afastar de quem me faz mal (ou aos meus).

8 – Qual sua comida favorita? 

Isso não se pergunta naqueles dias em que sou capaz de jantar duas vezes e comer duas sobremesas só porque sim. Agora?! Agora, comia um leite-creme quentinho! Adoro.

9 – Doce ou salgado? 

Doce, claro! :)
 
10 – O que te deixa feliz?

 O que mais me deixa feliz é não ter motivos para ser infeliz. Life´s good!!!

Se te sentes desafiada, leva contigo este conjunto de perguntas, diverte-te a responder e depois partilha connosco!!!

 


terça-feira, 23 de setembro de 2014

Que saudades destas coisas!

Estava já a aula a acabar quando um menino bem timidamente me chama ao pé dele e pergunta quase em surdina:

Ele - A professora é português?
Eu - Não, filho, sou de Matemática.
Ele - Não é isso. Queria saber se a professora é portuguesa!
Eu - Claro que sou portuguesa, porque perguntas?
Ele - É que falas esquisito...

Ó pá, não deu para aguentar e desmanchei-me a rir!!!

Bibó norte e bibá pronúncia nortenha da qual tenho tanto orgulho :D

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

E pronto...

E pronto, é a quase 600km de casa que hoje vos escrevo.
Vim de malas e bagagens para o canto do país onde há emprego para mim. Sorte a minha que ainda tenha conseguido pousio no nosso país. Muitos dos meus neste momento não podem dizer o mesmo.
Tenho a certeza que aqui serei feliz, mas é sempre difícil viver na incerteza. Hoje sou feliz porque tenho os dois comigo. Felizmente conseguimos vir em família. Até quando não sei e é sempre essa incerteza que não me deixa pensar no futuro... 
Não sei se é mecanismo de defesa, mas estou mais centrada que nunca no aqui e no agora. E hoje, daqui a uns minutinhos vamos levá-la ao parque, vamos vê-la feliz a subir as escadas sozinha e a escorregar no escorrega dos grandes e quem sabe se mais logo ainda vamos a banhos às maravilhosas praias do Algarve que este mês nos brindam com águas com tão belas temperaturas!
Sejam felizes! Life´s good. 




terça-feira, 19 de agosto de 2014

O bicho e as coisas da vida...

      Por vezes, quando menos esperamos a vida troca-nos as voltas e ficamos durante alguns minutos sem saber bem o que pensar e a imaginar como será o futuro daí em diante.

      O que é meu, a mim virá e não há nada que faça mudar o rumo que já está traçado... Há que tomar as decisões que têm mesmo de ser tomadas e acreditar que conseguirei trazer a mim o melhor da situação que daí advirá.

     Enquanto as ideias assentam aos poucos na minha cabeça, aproveito para começar a dar por terminados alguns pequenos projetos. Nada como fazer o que nos sentimos bem a fazer para apaziguar a mente que corre veloz e me fazer acreditar que as mudanças na vida são necessárias e bem-vindas!

      Mas vamos ao bicho!

    O bicho já existe desde a minha infância. Era do meu pai e sempre foi ostracizado por todos! Nunca foi verdadeiramente amado a não ser por ele que o exibia pendurado no escritório.

      Alguém o entalhou à mão, com paciência e brio, com toda a atenção aos pormenores, mas assim mesmo nunca lhe foi dado o devido valor. Acho que os olhos de madrepérola lhe dão o ar sinistro que afugenta o mais sensível...

    Encontrei-o, sem contar, no meio das tralhas do meu pai durante uma das minhas famosas excursões à caça do tesouro que tanto gosto de fazer e logo o quis trazer comigo sem ter verdadeiros planos para ele...

      Acabou por ter lugar cativo na zona exterior que andamos a remodelar.







      Este era o aspeto da parede antes da reformulação.
     Para esconder o quadro elétrico, o marido fez o móvel que ainda está inacabado. Estou indecisa sobre o acabamento. Não sei se pinte ou se lhe dê alguma textura. Para já gosto dele assim. Talvez lhe dê uma camada de verniz incolor e fique assim mesmo da cor da madeira!

 


domingo, 17 de agosto de 2014

Tirar a barriga de misérias...

Senti-me a "tirar a barriga de misérias" quando o S. Pedro nos resolveu brindar com dois dias seguidos de sol!!! Que saudades tinha de sentir o sol na pele e o vento na cara sem sentir o inevitável e mais que temido frio...

O calor faz-me sentir vontade de aproveitar cada minutinho de luz e prolongar o final da tarde até não poder mais... 


Hoje consegui acompanhá-la nas corridas e partilhei com ele a alegria de a ver tão alegre e livre...

Hoje consegui ir ao mar e pensar que afinal deveria ter levado o bikini já que a água estava suficientemente agradável para a acompanhar nos "mergulhos". 

Hoje consegui molhar a roupa toda e ter de esperar que secasse para não sair da praia a pingar...

Hoje consegui usufruir da minha espreguiçadeira "nova" no jardim e li um pouquinho para tirar a barriga de misérias das leituras que tenho em atraso.


Hoje consegui comer a tal francesinha que já não comia há meses... e também não me fiz de rogada e comi o belo do crepe de caramelo e amêndoa com gelado. 

Tirei a barriga de misérias, a barriga é que aposto que vai ficar uma miséria :O
 
 





Vê também...

Related Posts with Thumbnails