sábado, 12 de maio de 2012

Conhecendo o Coffee e a Flea

O Coffee e a Flea cedo se aperceberam do novo membro da família e como andavam agitados com a situação...
Foram apresentados através do vidro e foram ainda dadas as roupinhas dela a cheirar.
O Coffee anda um pouco enciumado e a Flea anda apenas curiosa.
Hoje foi a primeira vez que se encontraram sem ser separados pelo vidro, mas separados por uma rede.
Apesar de gostar muito dos meus cães, estas apresentações têm de ser feitas com muito cuidado, verificando sempre as reações dos cães. Temos de nos certificar que a consideram alguém superior na hierarquia e para tal a supervisão tem de ser sempre feita durante os primeiros anos de vida.

Para quem tem animais, como fizeram com os vossos filhos? Alguma dica que me possam dar?
Agradecida.


4 comentários:

Sarokas disse...

Querida como sabes tenho 1 cadelinha, a Julieta, e logo no dia que o Martim chegou a casa, foram apresentados.
Não tenho infelizmente quintal por isso tornava-se obrigatorio conhecerem-se.
Começou por cheirar os pés, as mãos e não resistiu a dar uma valente lambidela na cara!a partir daí tornou-se protectora e só não esta perto do Martim quando a porta do quarto dele está fechada! ;)

Soneca disse...

Olá!
A experiência mais recente que tive foi com o meu sobrinho. Quando ele nasceu tanto eu como a minha avó tínhamos rottweilers. Durante a gravidez a minha irmã esteve sempre bastante próxima deles e era incrível como os cães eram cuidadosos. O meu era um cão muito meigo e muito inteligente, o da minha avó é um irrequieto. Quando o menino nasceu foi apresentado aos dois. O da minha avó sempre mostrou muitos ciumes e nunca facilitamos. Quatro anos depois continuamos a não facilitar. Não gostamos mesmo do olhar que ele deita ao miúdo!
Com o meu foi o oposto. Também foi com uma porta pelo meio que ele o viu pela primeira vez. Depois fizemos uma apresentação de cheiros e rapidamente passamos à apresentação física. E o meu Boris adorou-o. Era com cada lambidela! Até Agosto do ano passado eram grandes amigos. Vibravam um com o outro! O Boris morreu e o pequeno não percebeu porque se foi ele embora. Hoje tenho um labrador que também adora o meu sobrinho. Dão-se muito, muito bem.
Na realidade, o meu sobrinho foi apresentado a quatro cães e uma gata. E tirando o da minha avó, garanto-te que foi adoptado pelos outros. Quanto mais cedo os apresentares melhor. Evitam-se os ciumes e os animais vão saber que têm ali alguém para proteger. Sempre com os devidos cuidados, claro está! Os nossos sempre foram muito tolerantes e mesmo quando a peste pisava o risco nunca lhe fizeram mal.
Bom fim de semana!:)

A tua mamã! disse...

Tenho em casa uma laska maluca até mais não! Nunca a proibi de entrar no quarto dele antes ou depois de nascer, o que fez com ela se apercebe-se que ali haviam novos cheiros, ali seria o espaço da alguem, que ela conhecia muito bem graças as sestas que dormia encostada à minha barriga. Engraçado que ele mexia-se sempre a sentia encostada a mim. Quando o Matias nasceu o pai trouxe as primeiras roupinhas que ele vestiu e deixou-as num sitio onde ela as pudesse cheirar sempre que quisesse, fizemos o mesmo com as seguintes roupinhas até ele chegar a casa. No dia que chegamos a casa decidi que seria naquele momento que se iriam conhecer, pousei o ovo no chão e deixei-a cheirar e até dar algumas lambidelas, e pronto ela reconheceu-o logo com um membro da familia e até hoje não tive qualquer problema! Os unicos cuidados que tive foi nunca o deixar em sitios que ela lhe pudesse saltar para cima pelo menos enquanto ele era muito bebé, agora já não é necessário esses cuidados. Outra coisa que sempre tivemos muito cuidado foi nunca deixar que o Matias a chateasse com puxões de rabos ou orelhas, sempre fiz questão de lhe dizer que ela é um animal e não um brinquedo! Connosco foi fácil espero que convosco também! Beijos

disse...

Olá,

Há muito tempo que cá não te vinha ler, acho que nunca comentei mas não podia deixar de dar o meu testemunho neste assunto :) Tenho um menino com 3 anos e outro com 5 meses (o mais velho nasceu ainda morávamos no apartamento e o mais novo nasceu já morávamos na moradia) e tenho a Samira, a minha labradora com 6 anos.
Tanto do mais velho como do mais novo fizemos sempre a mesma coisa...não mudámos nada :) Logo quando chegámos a Samira foi logo cheirá-los, lambidela na carinha e sempre andou de roda deles (claro que nunca os deixava sozinhos). Não sei se foi por isso, mas eles ganharam logo imunidade e nunca tiveram doenças sem ser constipações e ambos foram para o infantário aos 4 meses (e a maior parte das crianças apanham tudo e mais alguma coisa quando vão para o infantário).

Uma coisa que a Samira sempre gostou de fazer quando estão, ou estavam no caso do mais velho, na espreguiçadeira é por a cabecinha em cima das pernocas do bebé e ali fica e ele adora e ri-se.

Mesmo no apartamento a Samira sempre teve acesso à casa toda e era os meus ouvidos, uso aparelhos auditivos, mas para dormir e tomar banho tenho de os tirar e se o bebé chorava e eu não ouvia ela vinha logo me avisar e fazia aquela epressão que só eu conhecia "então...o puto está ali aos berros e tu aqui na boa vida?!!??!"

Mas claro que tudo depende de cão para cão :)

Beijocas e espero ter ajudado,

Vê também...

Related Posts with Thumbnails