quarta-feira, 27 de abril de 2011

...

O post anterior já ia longo, por isso decidi continuar num outro...

Seguimos em direção a Covas do Monte, mas antes de lá chegarmos já nos apercebemos porque é tão conhecida esta aldeia :P É que nela vivem mais cabras do que pessoas! Cerca de 2500 cabras para 56 pessoas. Já tinha visto uma reportagem sobre o pastoreio coletivo,ou seja, a cada dia vão 2 pastores da aldeia tratar das cabras, por sistema de rotatividade.

 Covas do Monte
Reparem que esta cabra tem uma falha no pêlo no pescoço a a pata magoada, muito provavelmente porque foi atacada por um lobo.


A certa altura, resta-nos descer,descer, descer,... Lá em baixo, começa a vislumbrar-se os campos verdes com formas geométricas.
Só para não pensarem que lá só há cabras, cliquem na foto para ampliar e ver o casal de perdizes que pousaram perto de nós :)


Para não regressarmos pelo mesmo caminho, descemos a colina pelo lado de Carvalhais e fomos conhecer o Bioparque, um parque natural com algumas animações aquáticas para crianças, que nesta altura do ano ainda não está aberto.Valeu o pic-nic e as vistas do outro lado da serra ;)

De volta à civilização, fomos ainda a S. Pedro do Sul, uma terrinha bem agradável, onde aproveitámos o sol e as esplanadas. Quando chegámos à Torre do Paço ainda fomos a tempo de ver o pôr-do sol.

Depois de um duche para repor energias, voltámos a Vouzela, desta vez à noite para jantar no Regalinho, um pequeno restaurante com um bom polvo à lagareiro. Não deixem de visitar também as pastelarias com fabrico próprio de pasteis de Vouzela, que são uma delícia :P 
Tendo em conta a quantidade deles que comi, deveria ainda estar de dieta :(

Vouzela

No dia anterior a este, pensando nós que iríamos embora no dia seguinte, decidimos escolher o Eira da Bica, como o restaurante a conhecer. Lindo e delicioso ;)
Não sei se gostei mais do pôr-do-sol na companhia perfeita para um jantar romântico a dois, ou então da Vitela à Lafões com umas migas e batata a murro de comer e chorar por mais :P


O belo do pastel de Vouzela, também não podia faltar!
E foi bem merecido, uma vez que nessa tarde tínhamos andado uns km de bicicleta (poucos, que as pernas não aguentam). 
Bem perto do Paço da Torre, há um caminho romano, que aconselho a fazer a pé, já que de bicicleta é cansativo por ser muito irregular e inclinado.

Alguém me dá uma ajudinha?

Preciso de sugestões de restaurantes no Porto.
Conhecem um cantinho interessante, onde se coma bem?

terça-feira, 26 de abril de 2011

Por S. Pedro do Sul...

De Figueiredo das Donas (onde passamos 2 dias - ver aqui) até ao Fujaco são apenas alguns km de distância de carro no meio da Serra. Daí, ao monte de S. Macaio, à Aldeia da Pena e a Covas do Monte mais uns quantos... Vale a pena ir com calma e explorar a zona!

 Fujaco
Cheia de pequenos caminhos bem íngremes, banhados pela água de pequenas nascentes, com as belísssimas casas de xisto empelingradas na montanha, assim encontramos a encantadora aldeia do Fujaco, a primeira aldeia de xisto que visitámos. É interessante ver os telhados feitos de lâminas de xisto. Da pequena escola, agora transformada em associação cultural, consegue-se uma excelente panorâmica da aldeia típica.




S. Macário 
O monte de S. Macário, (o alto mais alto das redondezas, com 1054m de altura) foi o destino seguinte. Daí, em dias especialmente abertos consegue ver-se a Serra da Estrela, do Caramulo e até a Torre dos Clérigos do Porto. Conforme vamos subindo, as frondosas árvores vão dando lugar a vegetação mais rasteira, dada a diminuição do dióxido de carbono.
A linha do horizonte parece infinitamente grande e o vento faz-nos lembrar quão altos estamos :)

Lá no alto, pode visitar-se as centenárias capelas de S. Macário de Cima e a Ermita S. Macário de Baixo.
Capela de S. Macário de cima

Ermita de S. Macário de baixo
De S. Macario, fomos em direcção à Aldeia da Pena, uma aldeia que tem apenas 8 habitantes. Curiosamente tivemos a oportunidade de conhecer metade da população :D No único restaurante da aldeia, fomos muito bem recebidos pelo Sr. Alfredo, pela esposa e pelas duas filhas que nos prepararam o almoço tardio.

Aldeia da Pena


Este foi o cenário para um um almoço descontraído e bem merecido, com o Chico sempre a assobiar...
 



segunda-feira, 25 de abril de 2011

Voltei à costura :D

Que tal foi a vossa Páscoa?
A minha foi ótima. Foi bom estar na treta toda a tarde com os manos, de volta do enxoval do piolho, meu sobrinho, e do traje do mano e da mãe que não pára de tricotar... ehehehehe

Quando cheguei a casa já bem tarde, não consegui tirar da cabeça uma ideia que se enraizou na minha mente durante todo o dia... Mal entrei, corri para limpar o pó da máquina de costura e desatei a cortar e a costurar sem parar!!! Umas horas depois saiu uma coisa destas:

Será que adivinham do que se trata???? :D Ainda faltam uns pormenores.

Também não poderia deixar de mostrar a pochete que a mãe decidiu tricotar na véspera de um casamento para a qual foi convidada :) 
Ainda está indecisa se leva a primeira ou a segunda versão e as fotos foram tiradas antes de ter colocado o foro na malinha. É que não faz a coisa por metade ;)


quinta-feira, 21 de abril de 2011

Recoletores

Somos recoletores por natureza, mas nem nos lembramos bem disso!
Somo-lo biologica e até culturalmente, senão vejamos...

Quando éramos ainda, na sua essência, nómadas, socialmente o papel dos homens era a caça e a proteção da sua prol. As mulheres cuidavam das crianças e recolhiam os alimentos disponíveis.

Porque será que somos nós mulheres que gostamos de ir às compras? De procurar em várias lojas, os vestidos e os sapatos perfeitos? Provavelmente porque sempre o fizémos... Não em busca de sapatos, mas em busca de frutos, sementes e raízes. Faz sentido, não faz?

Ontem, fui coletar alguns frutos a casa dos meus avós, e não pude deixar de trazer vários kg de laranjas e não resisti em colher algumas flores daquelas que neste momento existem aos magotes e tornam tudo mais bonito :)

Como adoro malmequeres! Ficaram na cozinha.
 
Esta ficou na sala.

E já agora, com tantas laranjas, que receitas me aconselham?
Já fiz sumo de laranja e papa de fruta, mas preciso de mais ideias. Agradecida.


quarta-feira, 20 de abril de 2011

Trash the dress - 3 anos

A Torre do Paço foi o cenário perfeito para a comemoração de mais um ano de casados com mais uma sessão fotográfica com o vestido de noiva. Nesse dia fomos os únicos hóspedes, pelo que tivemos a liberdade de deambular pelo espaço sem o embaraço de nos perguntarem se era o nosso casamento... lol








Haveria tantas outras fotos lindas para mostrar :D
Com o vestido vestido sinto-me muito mais bonita e confiante :P
Aproveitem que hoje estou uma mãos largas e decidi revelar o nosso rosto...


(fotos retiradas)

terça-feira, 19 de abril de 2011

"Arejar"

"Arejar" é uma expressão que redescobri! E o sentido que os dinamarqueses lhe dão é um sentido bem diferente do que nós, portugueses,  normalmente utilizámos... 

Pôr um bebé/ pequena criança a arejar, significa colocar os bebés a dormir ao relento! Para nós pode parecer despropositado, cruel até, mas a verdade é que o fazem diariamente aos bebés e crianças pequenas.

Não é que elas passem a noite, cá fora, apenas fazem pequenas sestas cá fora, porque acham que faz bem ao desenvolvimento destas.

Outra coisa que fiquei espantada em saber é que, as mães se tiverem um parto de manhã, ao fim da tarde já vão embora e passam a noite em casa e é de salientar que a taxa de mortalidade infantil é ainda inferior à nossa e arrisco a dizer que com isto o sistema de saúde poupará bastante, não concordam?

Com esta história, fiquei a pensar se "apaparicamos" demais os nossos bebés... Será?
O que posso concluir é que as tradições são isso mesmo, tradições! A nós pode-nos meter um pouco de confusão, mas para eles é a coisa mais normal de se fazer. Vai-se a ver e eles ficariam espantados com outras coisas que fazemos que nem lhes passaria pela cabeça...

segunda-feira, 18 de abril de 2011

O cenário perfeito para um fim-de-semana!


O cenário que escolhemos foi o Paço da Torre, numa aldeia chamada Figueiredo das Donas perto de Vouzela e de S. Pedro do Sul. Era tudo tão perfeito que acabamos por ficar mais uma noite do que o programado :)

Ficou ainda a promessa de voltar e de preferência muito em breve...

A casa, completamente restaurada, alia todo o conforto e todas as comodidades  modernas com a arquitetura antiga de um paço completamente renovado.

Os quartos são todos eles encantadores. Como éramos os únicos hóspedes visitámo-los todos e decidimos onde queríamos dormir. O quarto escolhido foi D. Maria (uma das Donas do Paço), com a beringela como cor dominante e a suite com maior área, dos 6 quartos disponíveis. Enorme, como eu gosto, com duas frentes, uma para os jardins da quinta e outra para a Serra da Arada. Umas vistas previligiadíssimas, sem dúvida!
Quarto D. Maria

O Barak e a Michelle, os "cãezinhos" da casa...

O pequeno jardim interior está pensado ao pormenor com as orquídeas em flor, com os tufos de um verde vivo e um pequeno lago com peixes.

A pequena capela recuperada, espelha a simplicidade da decoração que entrelaça de forma perfeita o antigo com o moderno.


A vista do terraço é especialmente bonita tendo em consideração a bela serra que rodeia a Torre quase em 360º, mas a vista para as piscinas são também muito apetecíveis ;)

Um pormenor da sala de estar/jantar, rasgada pela luz que escapa das enormes janelas.

A tarde com maravilhosas temperaturas, convida a um mergulho na piscina. As vistas são estonteantemente belas :), mas a água ainda está muito fria...

Para aproveitar a beleza da natureza que envolve a quinta, aproveitámos a disponibilidade das biclicletas para conhecer as aldeias em redor e para percorrer uma pequena parte da estrada romana, que começa a poucos metros da mesma.
A Torre do Paço, dispõe ainda de uma sala de jogos, com um bilhar e TV por satélite, com ligação à piscina.

O pequeno-almoço é um deleite, não só pelos produtos caseiros, como a marmelada, o mel e as compotas, mas também pelo pão acabado de fazer e pelo cheiro das laranjas acabadas de espremer para um sumo 100% natural. E como não poderia deixar de ser um pastel de Vouzela rematado com um expresso!!!
Como convidados especiais que somos, tivemos ainda direito a um delicioso bolo de laranja e requeijão, feito pela Patrícia, a atenciosa funcionária da quinta.

O donos são de uma simpatia que nestes tempos já não estamos habituados, o que torna a estadia em algo realmente perfeito! Recomendo vivamente, mesmo não ganhando nada com isso.

E para os próximos posts, darei conta dos lugares encantadores a visitar nas redondezas.

domingo, 17 de abril de 2011

Rolling in the deep

Esteve 9 (ou 10?) semanas no top em Londres e é daquelas músicas que atualmente não me canso de ouvir... E vocês, gostam de Adele?



There's a fire starting in my heart
Reaching a fever pitch and it's bringing me out the dark
Finally, I can see you crystal clear
Go head and sell me out and I'll lay your ship bare

See how I'll leave with every piece of you
Don't underestimate the things that I will do

There's a fire starting in my heart
Reaching a fever pitch and its bringing me out the dark

The scars of your love remind me of us
They keep me thinking that we almost had it all
The scars of your love, they leave me breathless
I can't help feeling

We could have had it all
(You're gonna wish you never had met me)
Rolling in the deep
(Tears are gonna fall, rolling in the deep)
You had my heart inside of your hand
(You're gonna wish you never had met me)
And you played it to the beat
(Tears are gonna fall, rolling in the deep)

Baby, I have no story to be told
But I've heard one of you and I'm gonna make your head burn
Think of me in the depths of your despair
Making a home down there, as mine sure won't be shared

(You're gonna wish you never had met me)
The scars of your love remind me of us
(Tears are gonna fall, rolling in the deep)
They keep me thinking that we almost had it all
(You're gonna wish you never had met me)
The scars of your love, they leave me breathless
(Tears are gonna fall, rolling in the deep)
I can't help feeling

We could have had it all
(You're gonna wish you never had met me)
Rolling in the deep
(Tears are gonna fall, rolling in the deep)
You had my heart inside of your hand
(You're gonna wish you never had met me)
And you played it to the beat
(Tears are gonna fall, rolling in the deep)

Could have had it all
Rolling in the deep
You had my heart inside of your hand
But you played it with a beating

Throw your soul through every open door
Count your blessings to find what you look for
Turn my sorrow into treasured gold
You pay me back in kind and reap just what you sow

(You're gonna wish you never had met me)
We could have had it all
(Tears are gonna fall, rolling in the deep)
We could have had it all
(You're gonna wish you never had met me)
It all, it all, it all
(Tears are gonna fall, rolling in the deep)

We could have had it all
(You're gonna wish you never had met me)
Rolling in the deep
(Tears are gonna fall, rolling in the deep)
You had my heart inside of your hand
(You're gonna wish you never had met me)
And you played it to the beat
(Tears are gonna fall, rolling in the deep)

Could have had it all
(You're gonna wish you never had met me)
Rolling in the deep
(Tears are gonna fall, rolling in the deep)
You had my heart inside of your hand

But you played it
You played it
You played it
You played it to the beat

sábado, 16 de abril de 2011

Minho ou Beira Alta?

Aqui ainda estava indecisa, mas acabamos por decidir a Beira Alta! E foi a melhor escolha que fizémos :) E eu sou suspeita, porque sou apaixonada pelo Minho.

Foram 3 dias perfeitos!!! Tirámos fotos maravilhosas... Vou ver se as organizo para fazer o roteiro de visitas que fizémos e, claro, falar do local em que decidimos ficar alojados, um cantinho no paraíso!!! O tempo esteve maravilhoso e ajudou à festa.

Ah, e como não podia deixar de ser fizémos a sessão fotográfica dos 3 anos de casados. E desta vez foi mesmo trash the dress. Acabei por rasgar um pouquinho o vestido ao tentar andar de bicicleta com ele :P Não tentem isto em casa, ok? :D

sexta-feira, 15 de abril de 2011

O Bolo dos noivos

O bolo dos noivos foi daquelas coisas que eu tinha a certeza de como queria... Em muitas coisas, tinha várias dúvidas, muitas incertezas, mas o bolo tinha de ser de chocolate negro com frutos vermelhos.

Não queria um bolo tradicional branco. Não queria um bolo com várias camadas nem com os bonecos. Era algo que não me dizia nada apesar de os haver bem bonitos.

E o que queria mesmo era um bolo individual, uma miniatura para cada convidado, que foi servido à mesa, depois do fogo de artifício.



Como tinha uma ideia tão específica do que queria, foi o pormenor que mais me surpreendeu pela negativa. E porquê? Porque o que tinha idealizado era algo bem simples como um cubo coberto de chocolate negro com frutos vermelhos por cima e não é que a pasteleira decidiu acrescentar chantili? Arruinou tudo! Enfim, o que vale é que pelo que parece só eu é que não gostei. Os convidados adoraram, não só o sabor (a massa acabou por ser de 2 sabores: pão-de-ló e chocolate) mas principalmente o aspecto.

E vocês, como foi/será o vosso bolo de casamento?

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Os acessórios

Um par de brincos e um alfinete. Foram os únicos acessórios que usei no dia.

Vê também...

Related Posts with Thumbnails