quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Desafio 31 dias

Consciente de que um hábito para que seja realmente incorporado na nossa rotina diária, tem de ser repetido de forma persistente pelo menos 30 dias, delineei um plano para mim própria no meu mês de férias. 
 
Desde o inverno para cá tenho realizado, ainda que, pouco consistentemente algumas atividades físicas como pequenas corridas e alguns planos de exercícios, mas como estou constantemente a recomeçar, torna-se extenuante e desmotivador... De uma corrida para outra passavam-se tantos dias que não dava oportunidade ao meu corpo de melhorar e sentir que o treino anterior melhorava efetivamente o meu desempenho. 

Tinha de fazer qualquer coisa quanto a isto! Uma citação de Jonh Wooden, treinador de basquetebol, que li num livro que encontrei na casa onde passamos uns dias de férias ficou-me retida na memória:

"Se falha em planear, planeie falhar"

Pensei como isto fazia tanto sentido e como tem sido o reflexo de tanta coisa na minha vida!

Como tenho quase um mês de férias seguido, seria a altura ideal para começar, sem falhas e principalmente sem desculpas.

Sem querer parecer o mais recente membro dos alcoólicos anónimos, posso, com orgulho, dizer que estou há 12 dias consecutivos a realizar exercícios de manutenção :)

Se o vou fazer indefinidamente? Não, não vou. Apenas quero que seja efetivamente um hábito que se enraíze e que o consiga manter durante todo o ano de forma consistente pelo menos 3 vezes por semana. É esse o meu objetivo.

O meu braço direito, foi o meu personal trainner, como gosto de chamar ao meu marido que tomou as rédeas e fez as decisões do que eu tinha de fazer. O que mais me custa nisto de fazer exercício é decidir o que fazer. Para mim é penoso e desgastante... quase tanto como o próprio exercício em si.

Para fazer isto a sério, no dia 1... :
  •  Pesei-me de manhã, registando o peso total, a % de gordura, % osso, % músculo e a % de água (ainda que esta última seja muito variável);
  •  Usei a fita métrica para tirar medidas a várias partes do corpo;
  •  Fotografei a barriga, o rabo e as pernas. 
Do dia 1 ao dia 12, variei o tipo de exercícios que fiz, assim como o nível de intensidade. Fiz treinos de 5 minutos muito intensos e outros de 40 minutos mais moderados, fiz repetições de 30 seg em várias séries (tabata) para trabalhar vários segmentos musculares, fiz ioga, fiz corridas e caminhadas, usei alteres, TRX, ...

Mas logo por volta do 3º ou 4º dia cometi um erro de principiante. Exagerei e fiz uma pequena lesão de esforço. Pensei que seria o fim do meu desafio... Levantei a cabeça e fiz trinos adaptados de modo a não interferir com o tornozelo magoado e já estou quase recomposta.

Hoje, dia 12 do plano, iniciei um plano de 4 semanas, da Nike trainning Club. (Sim, vou ultrapassar os 31 dias, mas provavelmente já não com treinos diários).
Optei pelo plano "Massa Corporal" e quando quero fazer o exercício basta-me carregar no botão play ;)

Quem tem um smartphone e vontade de espreitar a aplicação, é só clicar abaixo.

sexta-feira, 13 de maio de 2016

Massa fresca

Uns dias passados em Itália fizeram-se finalmente decidir comprar uma máquina de esticar massa que estava nos meus planos há já vários meses.

Vim de Milão cheia de boas experiências gastronómicas e cheia de vontade de pôr a mão na massa... ehehehe


Logo no dia em que a comprei, experimentei fazer massa para rechear e consegui fazer massa fina e deliciosa, sem qualquer dificuldade... Sempre imaginei que fosse difícil e inconveniente e moroso e chato, e..., no entanto, preparei-a em poucos minutos e sem complicações!!!

Vou usar a máquina muitas vezes, parece-me.

Não tinha nada pensado para o recheio, por isso decidi improvisar com o que havia no frigorífico: sobras de frango do almoço, queijo mozzarela e tomate.


Podem ver a receita aqui.



segunda-feira, 9 de maio de 2016

O meu marido é sonambulo.



Imagem daqui
Sim, é! Já o sabia e já tinha presenciado noutras ocasiões, mas esta vez foi especial...
Ele acordou-me para conversar comigo.

Tocou-me no ombro várias vezes até eu acordar e depois começou a falar e a gesticular.
É claro que puxei por ele e respondeu sempre ao que lhe perguntei, mas não estaria a falar comigo nesse sonho... Tratou-me sempre no masculino. Devia de estar a falar com um homem... LOL

Não cheguei a perceber bem, mas parece-me que estava num evento desportivo e até estava a ser filmado... hihihihi

Durante a noite não achei muita graça, porque tive dificuldade em voltar a adormecer, com receio dele se levantar e sair de casa, sei lá!!!

Mas de manhã quando lhe contei, ri-me a valer.


quinta-feira, 5 de maio de 2016

O 4º aniversário!!!

O aniversário dela este ano à semelhança de todos os outros teve chuva.
Hoje acordei com a chuva a bater de mansinho na janela e lembrei-me de partilhar convosco um pouco deste dia.


O bolo, pela primeira vez, foi feito por nós. É a receita preferida do marido (podem vê-la aqui), com um recheio de baunilha que experimentámos e que ficou ótimo e a girafa era um brinquedo dela e que acabou por ser a protagonista. Não foi nada de elaborado, portanto, nem requintado, mas fez todo o sentido, já que ela anda apaixonada por este livro.


Pensei num naked cake e como não queria correr o risco de na última hora ter de ir à pastelaria da esquina buscar um qualquer, experimentei umas semanas antes e repeti no dia.

Apercebi-me que o bolo do dia só foi fotografado na altura da festa. Ainda bem que fotografei a experiência da semana anterior!




O aniversário dela não teve nenhum tema, nem foi alusivo a nenhuma personagem, apenas foi eleita uma cor, o vermelho cereja. Para fugir ao cor-de-rosa dos anos anteriores, apostei no vermelho e apesar de não ser a minha cor, combina muito bem com a personalidade dela!







quarta-feira, 27 de abril de 2016

#youzzlipikar - a minha experiência


Há alguns anos para cá, a minha pele sempre saudável até então, sofreu algumas alterações. Ficou mais seca e propensa a algumas reações, nomeadamente uma urticária ligeira a moderada conforme as ocasiões, piorando com as mudanças de temperatura e o stress.
Descobri que tinha dermografismo e desde então comecei a ter mais atenção aos cremes e até champôs que usava, porque comecei a ficar com o couro cabeludo vermelho e inchado, alargando-se progressivamente ao resto do corpo...
Mudei de champô, de gel de banho e de creme de corpo, passando a usar cremes sem perfume e gel de banho sem parabenos, mas de vez em quando ainda sinto comichão e vermelhidão. Nada a fazer a não ser ir controlando os sintomas.



A gama LIPIKAR da La Roche Posay foi experimentada com muita expectativa e não desiludiu! Pelo contrário...Experimentei eu e experimentou a filhota agora com 4 anos e que não tem qualquer problema de pele.

Comecei por experimentar o creme LIPIKAR BAUME AP+, que é um bálsamo reparador especialmente concebido para a pele com tendência atópica, muito seca, com desconfortos cutâneos e sujeita a prurido, provocado pelo acto de coçar. 

Não deixei de ter comichão, nem deixei de ficar com a pele empolada onde me cocei, mas senti que a pele se manteve hidratada por mais tempo, livrando-me daquele desconforto caracterísco após algumas horas da hidratação corporal. No entanto, o que mais me surpreendeu foi a capacidade hidratante do creme em si, sem ficar toda pegajosa e a colar, como aquela sensação que ninguém gosta num creme "gordo".
O creme, sem perfume, tem uma textura densa, mas fluída o suficiente para ter uma aplicação agradável e não gordurosa. Perfeito!!!

Quanto ao LIPIKAR ÓLEO LAVANTE, temo-lo usado de duas formas diferentes.


Eu uso essencialmente após o duche. É perfeito para o dia-a-dia, pois coloca-se no final do banho com o corpo ainda molhado. Enquanto consumidora assídua de óleos, gosto particularmente deste pela facilidade com que se espalha uniformemente pelo corpo e pela sensação prolongada de conforto ao longo do dia.

Na minha filha também o uso desta forma quando toma duche e temos mais pressa  não dá para colocar o creme, mas é mais habitual que ela tome banho de imersão. Aí misturo uma tampinha ou duas na água da banheira e lavo-a como habitualmente. 


Era assim que costumava fazer quando ela era recém-nascida, mas aos poucos deixei de ter esse cuidado. O óleo protege a barreira cutânea e previne a desidratação provocada pelo gel de banho e champô. No final aplico o creme LIPIKAR BAUME AP+ e ficamos as duas com pele de bebé.

Gostei muito de participar na campanha da La Roche Posay com a grama LIPIKAR e tenciono continuar a usar já que estou encantada com os resultados que vejo na nossa pele.

Sinceramente pensei que ia fazer-me falta o cheirinho do creme, dada a falta de perfume na sua fórmula, mas até isso me impressionou. Espantosamente a minha filha ainda cheira a bebé e não há melhor perfume que esse, sem máscaras nem camuflagens!!! :)

terça-feira, 26 de abril de 2016

Balanço - primavera

Tenho andado com vontade de rabiscar aqui e ali. Coisas soltas. Palavras ou frases que soam bem. Vontades e desvontades. Rabiscar ou escrevinhar sobre tudo e sobre nada. Uma espécie de diário sem regras e sem dever. Gosto de o levar comigo quando vou ler o meu livro ou as minhas revistas ou blogs; quando vou sair vai comigo para o caso de me apetecer apontar qualquer coisa.

Inspirei-me aqui e saiu qualquer coisa como isto, para fazer o balanço do primeiro terço do ano...
Comecei a completar há uns dias e hoje termino.

A fazer limpezas (literais e mentais)
A cozinhar massas frescas.
A beber água com limão.
A ler "As gémeas do Gelo", dica da Dina.
A querer caminhar mais.
A ansiar sol e calor.
A tocar Ray Charles na playlist.
A brincar às cabeleireiras com ela.
A decidir o que levar para Milão. [agora que já voltei, estou a decidir a próxima viagem]
A desejar (só) mais um abraço.
A apreciar a cumplicidade pai-filha.
A esperar o fim da hibernação do Sonic [já acordou!!! ontem já o fui cumprimentar ao jardim]
A gostar de costurar.
A sonhar com as próximas mini-férias.
A adorar ver a complexificação dos diálogos com ela.
A reflectir sobre o que é realmente importante.
A considerar uma ida ao jardim zoológico.
A ver Anatomia de Grey (season 12)
A pensar como comemorar o nosso aniversário (já lá vai e foi ótimo).
A maravilhar-me com gravidezes alheias.
A precisar de acordar mais cedo.
A questionar um corte de cabelo radical.
A cheirar o cabelo dela.
A usar saias.
A seguir o crescimento do novo pessegueiro.
A reparar na azáfama das andorinhas no cimo da janela do meu quarto.
A saber ... esperar.
A admirar os meus morangueiros.
A organizar todas as roupinhas pequeninas que deixaram de servir.
A comprar roupas maiores.
A preparar um chá quentinho para rematar o final da noite.
A marcar um encontro com as amigas.
A não gostar de ver o noticiários.
A abrir um vinho só para dois, só porque sim.
A gargalhar pouco, mas a sorrir muito.
A sentir vontade de viver!
A cobiçar mais árvores de fruto para o jardim.
A petiscar bolachas, sempre as bolachas...
A ajudar a bailarina a ser mais autónoma. [até para serem autónomos precisam de ajuda].
A ouvir o meu coração.


Será que inspirei alguém a fazer o mesmo? 


sábado, 23 de abril de 2016

A cama da bailarina

Estava prometido um post sobre a cama nova da bailarina, mas com as chuvas incessantes tive pouca vontade de andar a fotografar... O fim da tarde de hoje com a vista do pôr-do-sol à janela foi o dia escolhido para vos mostrar o resultado final. Bem... final não será, mas já explico.


 Quando nos mudamos para o Algarve, a bailarina começou a dormir numa cama de solteiro, mas quando vinhamos cá ao norte ainda dormia na cama de grades. No Verão, já com 3 anos feitos, decidimos que seria melhor passá-la para uma cama maior, ainda que se sentisse confortável a dormir na cama de grades.


 Durante umas semanas dormiu na cama de solteiro que temos no quarto de hóspedes. Essa é a minha cama de solteira, tem valor sentimental e os planos seriam pintá-la de branco para ficar de acordo com os outros móveis do quarto, mas depois mudei de ideia e quis colocar antes uma cama de casal porque tive sempre medo que ela caísse...

Foi, então, quando veio cá ter uma cama de casal nova, branca e enorme. Tão enorme que o colchão era fora de medidas e o quarto pequeno ficou atafulhado até à porta. Pouco espaço ficava para circular e não, não era nada disso que tinha em mente...

A tal cama enorme ficou para os meus pais e ficamos novamente sem cama para a bailarina...


Foi quando eu me lembrei de procurar uma cama antiga para restaurar. Já o fizera várias vezes, mas nunca conseguira convencer o marido a investir em móveis antigos. Desta vez fui muito, muito insistente e lá acabou por me fazer a vontade.

Encontrei no OLX uma cama pretendente na minha zona de residência, mas precisava de muito trabalho. Vinha com uma camada enorme de cera que escondia a madeira em mau estado. Uma das traves laterais vinha rachada e com uma emenda mal amanhada, mas assim mesmo continuei enamorada pela cama, pela ideia do percurso que seria feito pelas nossas mãos e perspectivava o resultado final!


A pressa de terminar  projeto e a vontade de ver a cama no lugar, levaram-me adiar alguns pormenores que quero ainda ver completos neste verão. Tenciono mandar fazer umas laterais novas, para colocar umas ferragens que proporcionem mais estabilidade à cama. Assim acabaremos com o "chiar" característico de uma cama antiga. E quem sabe ainda faça um estofo para a cabeceira e para a peseira que continua com algumas imperfeições, uma vez que são em contraplacado folheado. A ideia inicial era essa, mas acabamos por gostar de a ver assim, pelo menos durante algum tempo...


 O pormenor que para nós fez a diferença nesta cama, são as medidas que ela tinha. É uma cama de casal, mas com as medidas antigas, o que a torna apenas um pouco mais larga que uma cama de solteiro, perfeita para uma menina e futura adolescente.

A mesinha de cabeceira, também antiga, mas de outro conjunto, foi igualmente restaurada e não destoou no quartinho.


 O roupeiro é de uma linha mais moderna, mas pintado de branco veio dar a arrumação necessária para uma menina já crescida. O roupeiro pequenino já não estava a conseguir cumprir o seu dever.


 O roupeiro, na altura feito à medida para o quarto que partilhei com a minha irmã, veio da arrecadação escura para a minha garagem onde foi remendado, lixado e pintado. 

Desta vez, eu e o meu marido deixámo-nos de frescuras e compramos uma máquina de pintar da Bosh que se viria a revelar o objeto perfeito para este tipo de projetos. Tivéssemos nós feito isso antes e teríamos poupado imensas horas e os resultados são surpreendentemente melhores que com rolos e pincéis.

E com móveis antigos e cheios de estórias para contar, como tanto gosto, consegui um quarto de menina crescida para a bailarina.

Se quiserem espreitar, falei aqui do roupeiro pequenino que restaurei na altura do nascimento da bailarina.

sexta-feira, 15 de abril de 2016

Nova campanha #youzzlipikar

Fui selecionada para mais uma campanha da #youzz, desta vez para testar a gama Lipikar!!!

Recebi um kit para partilhar com a minha filha, que contém uma embalagem de lipikar óleo lavante e uma embalagem de lipikar Baume AP+.

Para já a primeira impressão é ótima, mas quero fazer um uso mais prolongado para depois dar a minha opinião mais detalhada!

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Bienvenidos às Astúrias

      Inverno por cá significa algum frio e muita chuva. Mas raramente se vê a neve!

      Um fim-de-semana de inverno com neve foi o cenário perfeito para uns dias fora da rotina com os amigos. As Astúrias foram o cenário escolhido e Oballo a pequena região onde ficamos alojados. Lá vimos mais animais do que pessoas... 

     Em Oballo não há pão fresco diariamente. Os locais sabem o dia e a hora a que o padeiro lá passa e por isso Cangas del Narcea foi a povoação mais perto onde vimos gentes e serviços abertos ao público. 

    Quando chegamos ao nosso destino, já era de noite, pelo que apenas com o nascer do sol é que tivemos a perceção do espaço envolvente e da serra que nos rodeava. 
De manhã bem cedo fomos brindados com uma surpreendente vista pelas pequenas e múltiplas janelas que rodeavam a casa.
 

Oballo ao fundo. Ficamos hospedados na casa mais alta que se vê na foto.
       O turismo rural é uma paixão nossa e os apartamentos Casa de La Fonte foram os escolhidos para pernoitar algumas noites. Tem bom aspeto, excelentes acomodações, uma cozinha bem equipada e espaço para conviver com os amigos, com uma excelente relação qualidade-preço. Recomendo, sem dúvida!




Uma das fotos espalhadas pela casa. A minha preferida data de 1910.
      Por entre várias fotos de família e outras da zona envolvente, esta foto chamou-me a atenção pelo facto de haver um urso no que parece ser uma cerimónia ou festividade. O urso pardo era um animal bastante comum naquela zona nessa altura. No inverno, os ursos hibernam e mesmo sendo bastante mais raros, ainda são avistados ursos nas Astúrias. Não fazia ideia! Ver aqui.

       Oballo dista apenas uns escassos quilómetros da Reserva Natural de Muniellos onde descobrimos bosques e cascatas em todos os recantos e muito trilhos a descobrir a pé. Apesar do manto branco ser imensamente atrativo, ficou a vontade de regressar com temperaturas mais amenas para fazer os trilhos já que com a neve abundante foi impossível percorrê-los.

     A floresta cobre-se de um verde pálido que cobre todas as árvores, criando um cenário único e inesperado. 

     A chuva não deu tréguas nos primeiros dias andamos literalmente debaixo de chuva e mais chuva! Nada que uma boa roupa impermeável e umas botas não resolvam. Foi libertador andar à chuva e passear debaixo da chuva durante vários períodos do dia!

     É escusado dizer que ela adorou! Chafurdar nas poças de água é das coisas mais maravilhosas que ela recorda destes dias de férias...


       E depois da chuva sempre veio a tão esperada neve!!!
      Acordamos de manhã bem cedo com os primeiros flocos de neve a bter delicadamente na janela...



 ... e quando acabamos o pequeno-almoço, já a neve cobria os prados e os telhados das casas!

    
    E já que que vos deixo uma sugestão de alojamento, porque não deixar também um local para uma refeição especial? O fordaliz foi o eleito para o jantar da despedida. Um local cheio de requinte, com comida fenomenal!

Tentando não ser muito aborrecida com a descrição dos belos momentos que passamos em família (os amigos são família, certo?), deixo-vos apenas algumas fotos das belíssimas paisagens e das brincadeiras!!! E quem não quiser ser criança, que não vá para a neve... :P







Vê também...

Related Posts with Thumbnails